O dólar voltou a subir ontem e fechou no maior patamar em 12 anos com a expectativa em torno de votações no Congresso que podem prejudicar o ajuste fiscal do governo. Declarações de um membro do banco central dos EUA apoiando a alta dos juros no país já em setembro também contribuíram para o avanço da moeda americana.

O dólar à vista, referência no mercado financeiro, registrou alta de 0,80%, para R$ 3,4798. O dólar comercial – usado em transações no comércio exterior – subiu 0,31%, para R$ 3,465. Na máxima, ambos atingiram R$ 3,48. Tanto o dólar à vista quanto o comercial estão no maior patamar desde 20 de março de 2003.

A retomada das votações no Congresso de projetos que podem causar impactos fiscais negativos para o governo pressionou o dólar no pregão, afirma Sidnei Nehme, economista e presidente da NGO Corretora.

Entre essas medidas estão a que revê a desoneração da folha de pagamento e a que amplia a correção do saldo do FGTS para os depósitos feitos a partir de 2016.

Fonte:  Folhapress